Perspectivas do Mercado de Eventos em 2017

Definitivamente, 2016 foi um ano extremamente complexo para todos os segmentos e nichos de mercado sem exceção.

Diante do complicado quadro político e econômico nacional que tivemos indo desde recessão na economia nacional à impeachment da presidente – conseguir manter os negócios dentro de uma linearidade e quiçá conseguir lucros, foi uma atividade para heróis – muito embora o empreendedor brasileiro já tenha que ser quase um herói, nesse ano as coisas foram ainda mais turbulentas que o normal.

O Mercado de Eventos em 2016

Obviamente o mercado de eventos como um todo, sofreu um grande impacto com esse cenário turbulento. Várias empresas em um primeiro momento, optaram por aguardar os desdobramentos do cenário nacional e também os caminhos que a economia iria seguir.

O fator de diferenciação nesse contexto foram, obviamente as Olimpíadas e as Paraolimpíadas 2016 realizadas no Rio de Janeiro, RJ. Que até pelas dimensões, tempo de preparação, expectativas e impacto no mundo todo – propiciaram ao mercado carioca um ano muito bom em detrimento do que foi observado no resto do pais – menos no mercado de São Paulo – mas bastante acentuado em outras cidades e polos econômicos.

Perspectivas e expectativas para o ano de 2017

Ao chegarmos ao último trimestre de 2016, a análise e planejamento para o próximo período já é uma realidade para várias empresas.

O cenário que se desenha de acordo com informações oriundas de entidades relacionadas aos Eventos como a ABEOC – Associação Brasileira de Empresas de Eventos entre outras, é de que teremos uma retomada em 2017 com uma ampliação do volume de eventos, porém com um perfil diferenciado.

A dinâmica esperada é que os eventos sejam de forma geral, menores dos que os observados entre 2015 e 2016, com uma segmentação mais focada, uma definição de público alvo bastante acentuada e também com uma tendência à que eventos temáticos sejam fortalecidos.

Essa tendência vem de análises onde as empresas deverão buscar novos mercados para seus produtos e serviços, bem como, retomar o contato com seus clientes mais habituais.

O Mercado de Aluguel de Cadeiras e Mesas no Rio de Janeiro e em São Paulo

As empresas e profissionais de eventos – notadamente os produtores, terão que estar atentos para esse maior volume de eventos, pois mesmo sendo de menor porte, tendem a exigir um grau de especificidade e criatividade muito maiores – visto que as empresas serão muito mais exigentes tanto no nível dos serviços oferecidos, quanto no diferencial propiciado aos seus participantes e convidados.

Os produtores e responsáveis por eventos, deverão obrigatoriamente treinar mais suas equipes e colaboradores – e prestadores de serviços como empresas de aluguel de mesas e cadeiras rj e aluguel de mesas e cadeiras sp – deverão ser criteriosamente avaliados tanto em termos de qualidade dos materiais (fundamental), quanto aspectos ligados aos processos de entrega e retirada – pois os tempos ficarão cada vez mais encurtados.

As expectativas é que o mercado tenha uma retomada razoável no próximo ano, porém, como exposto no artigo, com uma quantidade maior de eventos e um acirramento das exigências das empresas contratantes.

 

 

1 Comentário


  1. Foi um artigo interessante, mas muito superficial….concordo que será uma no de eventos menores em todos os setores: SOCIAIS, CORPORATIVOS, CULTURAIS E ESPORTIVOS.

    Mas, é um mercado que sempre se reinventa. Eu trabalho na promoção de pequenos eventos no setor corporativo e de festas…

    Desejo um bom ano para todos…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *