O Comércio Social Aos Olhos Do Marketing De Influenciadores

Muitas empresas que tentaram combater o comércio social nos últimos anos, vieram e desapareceram. Empresas como The Fancy por exemplo, criaram uma excelente experiência de descoberta para um item de luxo exclusivo, mas, o site não conseguiu realmente alavancar interação para impulsionar as compras diárias de seus usuários.

Avançando rápido para os dias de hoje, há uma real esperança para o comércio social através do gigantesco espaço é o Instagram. Como uma plataforma digital, o Instagram pode parecer um candidato improvável para o sucesso no espaço do comércio, já que, historicamente e relativamente falando, plataformas sociais não tiveram muito sucesso integrando  comércio com seu ecossistema. No entanto, com o Instagram é diferente. O Instagram é excepcionalmente posicionado por que:  mais que apenas uma maneira de interagir com amigos e manter-se no topo das tendências, o Instagram é sobre compartilhar um mundo de conteúdo visual e descobrir a mecânica perfeita para as marcas compartilharem também.

Na industria da moda, vimos a transição dos sites da marca para catálogos no Instagram, mídia que se torna a nova casa das vitrines online. Isso significa que o site da marca não é nada mais que um carrinho de compras e um botão de saída. Ainda assim, o fluxo de um perfil do Instagram da marca segue ruim, exigindo os usuários  deixem o aplicativo e se direcionem para as marcas bio, para então navegar pelo site. Fazendo um post comprável, o Instagram não está tentando mudar o comportamento do consumidor, está apenas tentando simplificar um comportamento já existente.

Semelhante ao seu rollout de anúncios, o Instagram só habilitou a funcionalidade de publicação comprável para um punhado de marcas, uma vez que ainda testa o recurso.

comércio social

Com isso, a grande pergunta é:

O que isso significa para os influenciadores? O marketing de influenciadores até agora tem sido comparado por KPIs (indicador-chave de desempenho) de funil superior como alcance, visualização, engajamento/interação. Editores, empresas criativas, agências de relações públicas têm rapidamente aceitado e adotado esses benchmarks para mensurar o sucesso. No entanto, os compradores de mídia digital e agências de marketing, foram deixados com “pulga atrás da orelha” quando se trata de KPIs de funil superior que são mais focados na construção da marca do que nas conversões.

O que o comércio social significa para marcas?

Embora as pessoas não comprem bens de consumo embalados de marcas como Coca Cola, online, isso pode abrir a porta para um novo conjunto de clientes que tiveram o foco estritamente convertido para investir mais fortemente no Instagram e, em impulsionar interação como influenciadores. Isso poderia significar que o marketing de influenciadores será uma opção mais viável para aqueles obcecados com resposta direta de marketing e acompanhamento.

O acompanhamento  da performance individual dos influenciadores ainda será difícil…

A menos que os influenciadores estejam vendendo produtos diretamente do seu próprio conteúdo, a atribuição para uma marca ainda será difícil. Não há uma maneira exata de dizer qual influenciador levou um usuário específico para a conta de uma marca e muitos menos uma compra. Além disso o API do Instagram não oferece dados a terceiro sobre a identidade de seus usuários específicos que estão seguindo influenciadores ou marcas e, definitivamente, não oferece transparência em dados de venda.

Como isso poderia afetar os preços do influenciador?

Do ponto de vista do marketing, os influenciadores fazem muito mais do que simplesmente direcionar o tráfego, eles constroem o brand equity (percepção de valor) e estabelecem o posicionamento da marca. Isso significa que o valor, em dólar, das vendas que geram, não inclui todo o valor que eles criam, portanto, não podem ser compensados simplesmente com base nas vendas geradas em um determinado dia.

No entanto, a transparência adicional levará a algum ajustamento no sentido de preços do influenciador. Muitos influenciadores que basearam seus preços em suposições e tendências, provavelmente, terão que diminuir suas taxas. Outros que podem estar sob pressão, podem achar que a transparência adicionada pode justificar um aumento na sua taxa.

A recente entrada do Instagram no espaço de comércio social, é um grande primeiro passo para monetizar a plataforma de uma maneira orgânica e, ao contrário de anúncios, não tira a experiência do usuário. Influenciadores não estão indo em lugar algum e para o Instagram e plataformas como ele, influenciadores são criadores de conteúdos chave que agregam valor mantendo os usuários envolvidos. Em termos do que o Instagram pode fazer para melhor influenciar seus influenciadores, qualquer coisa que os permita monetizar melhor seu público, manterá influenciadores vinculados a plataforma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *